quarta-feira, setembro 09, 2009

 
"Amor é isto:  a dialética entre a alegria do encontro e a dor da separação. E neste espaço o amor só sobrevive graças a algo que se chama fidelidade: a espera do regresso. Quem não pode suportar a dor da separação não está preparado para o amor. Porque o amor é algo que não se possui, jamais. É evento de graça. Aparece quando quer, e só nos resta ficar à espera. E, quando ele volta, a alegria volta com ele. E sentimos então que valeu a pena suportar a dor da ausência, pela alegria do reencontro."
Rubem Alves in Ostra Feliz Não Faz Pérola

5 comentários:

Jou Jou Balangandã disse...

Só quem já viveu reencontros pra entender mesmo. Também acho que a alegria do reencontro supera qualquer dor.

Parabéns pelo post!


Bjos

MR disse...

Para mim não é isso não,

amor é um poder intrínseco que possuímos,

não é esse sentimento fugidio.

Esse é o amor do poeta.

Daniel disse...

Olá Cris, muito bonito o que postou. Adoro ler sobre o amor, pois realmente acredito nele como cura de todos os males.

Obrigado pelo comentário na minha postagem.

Bom final de semana.
Beijos

matheus disse...

um abraço de reencontro, vale toda a dor que a saudade possa provocar

O Sibarita disse...

Eita, o Rubem Alves tem cada texto retado e esse não foge a regra 1000....

Beleza Cris!
bjs
O Sibarita