domingo, julho 15, 2007

Pensei que bastassem palavras
Pra me fazer entender
Que nada
Às vezes minha voz parece dublada
Eu digo uma coisa, ele entende outra
Fica tudo sem começo nem fim
Quem dera eu pudesse contratar um dublê
Pra terminar certas cenas por mim...
[Martha Medeiros]

2 comentários:

Alice disse...

Conheço tão bem o sentimento transmitido no texto...
É como se, para algumas pessoas, falassemos uma língua estranha... impossível de entender...
Ou será que algumas pessoas ouvem e entendem apenas o que querem e não o que se lhes comunica???
Beijinhos...

junior disse...

A Martha sabe das coisas, né? tenho o Trem bala, dela.

Abraços

Juno