terça-feira, junho 26, 2007

"Despedir-se de um amor é despedir-se de si mesmo. É o arremate de uma história que terminou, externamente, sem nossa concordância, mas que precisa também sair de dentro da gente...E só então a gente poderá amar, de novo".

[Martha Medeiros]

3 comentários:

O Sibarita disse...

Uh lá lá lá! Cris que belo texto!

Demais e com certeza tem que ser assim...

Cheguei do São joão viu fia? kkk Não foi moleza não! kkk E o seu São joão?

bjs
O Sibarita

Solitária disse...

Olá!
Passei para agradecer a visitinha e pedir desculpa pelas ausências, mas a minha vida profissional tem tido alguns problemas que me impossibilitam de andar por aqui.
Espero voltar em breve.
Deixo os votos de um bom fim de semana.
Beijinhos

Sheilloka disse...

Li este texto e lembrei de nossas convrsas... Acho q o caminho é mais ou menos este.... Parecido com a msg q escreveu no seu blog...
O q acha? Bjuks!!!!


COMO SE ESQUECE?

Como é que se esquece alguém que se ama? Como é que se esquece alguém que nos faz falta? Quando alguém se vai embora de repente como é que se faz para ficar? Quando alguém nos desilude, como se esquece? Quando alguém morre, quando alguém se separa - como é que se faz quando a pessoa de quem se precisa já lá não está?As pessoas têm de morrer, os amores de acabar. As pessoas têm de partir, os sítios têm de ficar longe uns dos outros, os tempos têm de mudar. Sim, mas como se faz? Como se esquece?
Devagar. É preciso esquecer devagar. Se uma pessoa tenta esquecer-se de repente, a outra pode ficar-lhe para sempre. Podem pôr-se processos e acções de despejo a quem se tem no coração, pode-se tentar esquecer a todo o custo, fazendo os maiores sacrifícios, chorando, gritando, dormindo, mas mais tarde pagamos com lembranças a dobrar.

Para esquecer é preciso deixar correr o coração, de lembrança em lembrança, na esperança de ele se cansar.